Hello world!

8 de Junho de 2009 at 21:01 (Reminiscências de um Louco)

Welcome to WordPress.com. This is your first post. Edit or delete it and start blogging!

O inconfundivel Hello World com que tudo começou…… Faz-nos pensar se a primeira coisa que Deus disse quando nos criou (para quem acredita nele, ou neles, ou bla bla bla Whiskas Saquetas) foi “Hello World”. À parte da referência aos inumeros programadores que começaram a sua vida assim (eu sei, porque tambem começei assim), este é o meu blogue e espero que gostem.

Em primeiro, devem notar (pelo menos os que me conhecem) que nem o endereço nem o nome de utilizador estão de acordo com as minhas preferências. Já tive este problema com o Twitter (razão pelo que tive de optar pelo nome de Kaigun, um grande companheiro meu, Xamã de nascença) mas parece que hoje em dia, há muitos Reichards pelo mundo fora.

….. Temos de começar a por uns de fora, se me perguntàrem 😛 ….. (Eu não, obviamente)

De qualquer maneira, o endereço não ficou mal de todo. O titulo do blogue vai em tradição dos grandes bloguistas, que, por um surto de imaginação louca e desvairada, quiseram nascer animais, como o Blogue do Gato, cuja correspondente edição da PCGuia (que digo ser uma boa revista, embora falte aquele detalhe que a Exame Informàtica tem, mas, resumindo, semper fi) ainda não tive a oportunidade de ler com detalhe, devido a varias faltas de interesses que se canalizaram em outros aspectos da minha vida, como dormir, comer, navegar na Net (copiei do AEIOU), ler manga, ver anime, estudar para os Exames, planear o dominio global, bla bla bla Whiskas Saquetas……….agora com SPAM.

O Blogue do Grande Urso, para não me espalhar e errar (2ª acepção, Prof.) na escrita do meu 1º post, advem da grande relação que eu tenho com a minha personágem principal do World of Warcraft: Reichard, Grande Druida Tauren Nivel 70, Guild Master do grande grémio For The Horde português, lider aclamado da Horde no XCLA.net, Tanque Supremo e Grande Gladiador. A minha especialização foi sempre Feral (com obvias excepções em vàrios momentos da história), e como o meu build, aquando da Crusada Ardente, dava tanto para Raids ou PvP, sempre fui, e ainda serei, um dos poucos Tanques Druidas no XCLA. Para os que estão familiares com o jogo, Tanques Druidas costumam ser Grandes Ursos.

…..Vou acabar com a redundância por aqui….. (A sério?)

Neste discurso auto-bajulatório não me posso esquece das pessoas que me ajudaram sempre a liderar um grémio que, desde o inicio, teve muitas dificuldades. Então, agradeço ao Slycopperr e ao Alliancenoob (juntos, porque separados não dà), ao Painatal, ao Dexron, ao Lostsoul, e a todos que fizeram parte da guild, tanto no presente como no passado, como o Yugo e ao Ghost. Com isto não me posso esquecer dos que faziam parte da Darkside e que, com as mudanças dos servidores, fazem parte da nossa guild, como o Schmity, o Arcana e a Sofs. Agradeço tambem ao grande grèmio dos Samurais, em destaque ao Kihiro, uma das minhas primeiras referências ao jogo, ao Kalleanor, um grande Feiticeiro que me acompanhou no inicio e, como os Sith, o aprendiz surpassa o mestre e ao Capilas, que, tendo-me acompanhado até ao XCLA, se tornou num grande Druida.

Em final, agradeço ao Athena, que criou o XCLA e tornou possivel todos os tempos que passamos juntos como uma grande equipa e como uma grande união.

…..Se me esquecer de alguem, digam, porque a minha memória do WoW foi-se com 7 meses de descanso…..

…..Estarei sempre a vigiar-vos e a tomar conta de vocês até eu parar de existir como tal…..

Com isto chegamos ao fim do meu post, que, por ser louco, deve chegar a ser mais que metade do post. Pergunto: O QUE É UM BLOG? Mesmo gritando, a resposta não aparece no ecrâ de repente, como haveria de aparecer, só se escrevesse e dissesse que era o computador, e não eu, a responder a uma pergunta que, por te-la perguntado, por mais perfeita ou imperfeita, por mais recta ou obliqua, por mais mais ou mais menos infinitas personalidades e humanidades que tenha cà dentro dos inumeros impulsos electricos que estão contidos numa caixa a que damos o nome de mente (e que de facto é o Universo), saberei sempre a resposta para aquilo que pergunto, condição esta que se aplica a todos os seres que pensam de forma lógica. Chega-se à conclusão que Todas As Perguntas São Ridículas.

Bem, deixando para trás esta mescla invulgar, mas prepositada e até genética de loucura transcendental e Saramaguismo, a resposta para o que perguntei reside na propria palavra, na lingua Inglesa (que, para não estar a complicar muito mais, dizemos que não é a lingua dos Ingleses, mas sim o que sai das bocas deles, que não perdigotos, dentes tortos e todo e qualquer disparate gibberiano) blog é uma pseudo-abreviação (pseudo porque o B tanto pode ser de Web como de Banana, de Ballistics ou de Blotched) de Web Log, ou seja, de Diário Electrónico.

No entanto, como o mundo é aquilo que fazemos dele, tanto os blogs podem ser o que fazemos deles (à excepção de comida, bebida, amor e sono, coisas que o WolframAlpha já respondeu, do fundo do seu coração electrónico, que nenhuma entidade computacional podia fazer; curiosamente tambem respondeu que, se uma arvore caisse no bosque e não estivesse lá alguem para ouvir, a arvore não fazia som). Então, em vez de ser um diário retratando as minhas inumeras aventuras e peripécias pelo mundo, vai ser, digamos um “forum de uma só pessoa”, ou seja, eu escrevo todo e qualquer disparate que me aparecer à cabeça e que, por necessidade autocentrica, precisa de ser demonstrado ao mundo que, olha, eu sei escrever uma data de coisas que podem ou não interessar ao primeiro ou segundo ou terceiro ou enesimo idiota que passe, por acaso ou por incidência, neste blog, tão anormal como os demais.

…..Acho que com isto acabei de descrever a Internet toda, só espero que ela não fique ofendida, olho por ela com toda a consideração…..

Perdi-me algures nesta escrita que alguns colegas meus chamariam macarronica, outros chamariam insana, louca, transcendental, sonhadora, relevante, iluminadora, simbolica (acho que só eu diria isso, porque só eu é que estou a escrever isto, simbolica não há muito, até que se considere como tal); a grande maioria, por absoluto desconhecimento e pseudo-ignorância não diria nada disto, porque desconhece por completo. Ignorância é felicidade: isto porque o ignorante não reconhece nada de mal nem de bom, não como o relativismo de Alberto Caeiro (cujo mal aparente nesta altura è a falta de interesse, e não a santa ignorância, ultimo refugio dos sonhadores e loucos, que podem sonhar e ver tudo, até à dor e ao sofrimento, quer fisico, quer psicológico, quer epistemológico ou mental, que, na minha opinião, é sempre o equivalente a milhões de miriades elevado ao infinito mais um de lanças enferrujadas e ensanguentadas trespassarem todos os limites daquilo a que posso chamar corpo fisico; mesmo gostando ou odiando, sem lanças não há aquilo a que, não na ignorância, mas na mente, podemos gerar, até cenas de inigualàvel intimidade, onde podemos não chegar a reconhecer se sentimos ou se pensamos, onde podemos rever todos os momentos num attosegundo, e experiencia-los numa infinidade; acordamos às 10 e acabamos por cair para o ceu).

Ia aproveitar este momento para dar uma critica aos meus colegas. Durante os 6 anos que estivemos juntos, foram uma fonte única de inspiração, de dores de cabeça que não sei se são enxaquecas ou fingimentos das minhas personalidades, e tambem, e mais importante de tudo, foram meus colegas, “ore no nakama”, como os nipónicos diriam. Foi graças a voçês que pude compreender um pouco mais deste mundo que, não graças a voçês, mas, digamos, tendo como detonador o contacto entre todos vós, pude ver a luz, logo no 7º ano (Simbologia 101). A partir da luz, as bases se constroem, o mundo se observa e após reconhecer o que se criou se fará aparecer a luz que a união seguirá cegamente até ao seu destino final, a destruição e a criação. A luz sempre falsa esconde o seu sentido no seu fado eterno. Depois do vazio e da luz há a escuridão para qual os escolhidos seguem. Centro dos 9 domínios, os três mortos igualmente se movem, no meio a passagem pela qual Zero caminhou, os pilares infinitos que ligam este e todos os demais, são quatro as conquistas que faremos, no fim aquele que os criou e destruiu sofrerá nenhum destino. Não haverá fim pois haverá sempre um novo começo.

…..Para explicar o que nunca conhecemos e sabemos, só há uma solução….. (Aquilo que todos acreditam que existe expliquei eu entre as linhas da história).

Estou de facto a alongar este texto que, neste preciso momento, tendo começado a escrever às 10 da noite, ainda estou a acabar à meia-noite, sem noção daquilo que começou onde os três morreram.Passaram 15 minutos desde que acabei de escrever a frase anterior. Acabei de degustar um café com leite, de gosto azedado, provavelmente por causa do calor intenso que costuma atingir o Mediterrâneo (do qual não fazemos parte, nem fronteira) e um par de bolinhas com manteiga (se quiserem ver um discurso sobre o pão, recomendo uma certa passágem do Memorial do Convento, as coisas não costumam ser muito diferentes de época para época, pelo menos em Portugal). Ahhhh….. em Toquio são 9:19, e estaria eu a escrevinhar este querido bloque num Mac cujas primeiras palavras a mim seriam okaerinasai; contemplando de um lado o Fuji, imponente montanha e simbolo nacional, como de outro lado contemplando a miriade de cosplayers que atravessam a rua, à espera de uma miriade de publicações, engenhocas e afins saiam às bancas, provavelmente estarei em Akihabara, embora que, em Toquio, um mundo novo poderá estár á espera. Pensava tambem em Hokkaido, já que, de rosa, è a unica coisa no meu desktop, mas neste momento, estou mesmo a pensar nisto: aaaahhhhhhhhh………, não que o assunto seja aborrecido, mas estou mesmo cansado. Uma dose de J-Pop ou de Jamlegend curaria isso, mas agora tenho este paragrafo para terminar. De qualquer maneira, em Toquio há uma porção daquilo a que chamamos inovação. Se uma série de robôs aparecessem do nada e comecassem a lutar numa batalha infindavel, estaria em Toquio traço 3. Não há muita diferença, por acaso.

Voltando a Portugal, digo que aproveito este blogue para “parar” de errar (1ª acepção, querida Prof., embora ache desnecessário estar a avisar) em todas as miriades de incorrecções e gafes que o meu Português, por falta, talvez, de uma conexão muito acentuada com a lingua (que já vimos anteriormente, não compreendem os disparates socraticos nem socialistas que neste pais existem como ár) ou por falta de incentivo familiar, ou então, e desta vez ponho a mais provavel causa, o facto de que, durante a minha vida, me habituei a falar várias linguas (outra vez, não o musculo que está na boca de todos) que neste caso seria o Inglês, embora que em Castela já me tenham ouvido, de Leão um pouco eu sei, de franco falo mas pouco, nipónico tenho estado a ler, pela miriade de publicações e animações que passam pelos meus olhos, entrando no meu lexico comum como m bicho agradavel, uma ténia inofensiva. A minha lingua continua a falar o seu idioma, o português vem segundo.

…..Ando a repetir miriade muitas vezes, para não usar miríade, é mais teatrico dizer mi-ri-a-de do que mi-ría-de, mas já tive esta discussão com aquele que me copiou a dizer que “Entre nós todos corre uma veia artística invulgar…”(eu a citar-me, aonde é que o mundo foi parar?)…..

Digo muito resumidamente que tenho um gosto acerrimo por Manga e por Anime e que acompanho as aventuras do Luffy, do Naruto e da Lala, embora que esteja com vontade de acabar de ver as do Shinji.

…..Breve…..Leve…..Serve…..

Biografias tenho esta do Perfil que tenho na minha conta da Live: Sou uma pessoa estranha, anormal e louca que, como todos, vai em procura da Índia que só existe em sonhos. (E que de facto está no Atlântico Norte).

Em suma, só tenho uma coisa a dizer, agora se me lembrasse de qual era…..

Bem, de qualquer maneira, vou dar continuação a isto tudo, diariamente se possivel. Se gostarem dos disparates e loucuras de um grande urso, fiquem para ler, que, entre nós Portugueses, está irremediavelmente perdida assim que criamos o Magalhães.

…..E foi isto que me esqueci de dizer, estou a fazer um Manifesto Anti-Magalhães…..(Basta, PUM, Basta).

Boa noite, madrugada, amanhecer, dia, tarde, ou anoitecer, e continuação de uma vida que todos esperam ser boa.

Anúncios

3 comentários

  1. reichardkaigun said,

    Acabei de reler isto tudo….. o fim pode estar confuso (porque o que perdemos foi a arte de Portugal) e o teclado comeu-me um par de letras (não tem boca, mas come, no entanto), não obstante as grandes incorrecções que poderei ter introduzido de propósito.
    De qualquer maneira, para primeiro, não cai em segundo.

  2. Tiago said,

    O Kalleanor não morreu. Está adormecido, à espera que um grande druida lhe faça um ritual que lhe permite voltar à sua dimensão de origem 😛
    Que os próximos bytes sejam tão bons como estes.
    😉

  3. Catarina said,

    Bem vindo à Blogosfera!

    Parece que estavas mesmo com falta disto…Logo para o primeiro dia escreveste imenso. Mas fazes bem! Deitar as ideias cá para fora.

    Sucesso para o Grande Urso! Por agora a Máquina do Tempo vai estar pouco activa porque a futura senhora engenheira tem de estudar para ver se tem rumo na vida (ir para Primeira-Ministra… quem sabe…).
    Até lá… Bons Posts!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: