“The gist of it”

10 de Março de 2010 at 17:55 (Bloco de Notas, Reminiscências de um Louco)

Well…….. For the first time ever I’m going to write in english, on my blog, just to show you that I can, indoubtley, write an five-hundred word remembrance about my first weeks in the 2nd semester in what obviously is, a very rewarding, albeit tiresome course.

This would be all sweet and dandy, if anyone even bothered to read all my “supposedly” gibberish dribbles and scribbles that I dwaddle along in this stratospherical zenith of an experimental experiment in “on the clouds” computing. Before I reboot my vocabulator I just want to say to all my increasing readers I’m a big fat liar because I failed in delivering these four posts in the last weekend (I’ve bored myself of existential thought until today). Roger roger.

— End Operation —

Bem, como poderão pedir ao Google que vos traduza, vou então fazer o que disse dizendo ai a uns milhões de bits atrás.

O 2º Semestre começou bem, embora tenha sido tramadito um pouco no inicio…. Em Desenho Assistido por Computador tive o problema de que, ao inicio, por ter escolhido um computador que estava mais perto do quadro e da projecção (por problemas de visão, presumirei eu) inadvertidamente escolhi um velho CRT como monitor…. e como não podemos mudar de computador (coisa que verifiquei ser meio falso) os meus olhos sofreram bastante (praticamente porque tenho um LCD que emite muita menos radiação e emite luz com maior refresh rate); de resto tudo corre como esperado, ah e isto é sem contar com os mais ou menos frequentes falhanços tecnológicos, o que penso ser da quantidade de cabos defeituosos que ligam os computadores aos monitores e que já me afectou.

Análise 2 continua a ser tão interessante como antes, pouco há para dizer ai: basicamente estamos a trabalhar com mais variaveis.

Os maiores problemas tenho-os entre as 3ª e 5ª: Em primeiro, na 3ª e na 4ª começo as aulas ás 9 (uma hora depois das 8 ) o que  demora um pouco a habituar: os metros chegam (se o apanhar a um quarto p’as 9) um pouco atrasados, e ainda demoro uns 3-5 minutos a chegar ao Ed. IX. A sala de Estática tem uma quantidade atmosférica de pó incrivel……mente alta – ontem praticamente não conseguia respirar sem sentir o sabor a mofo e a metal na boca. Talvez o pó acumule-se mais atrás, mas isso não terei certeza. O que mais no inicio me espantou foi termos Estática Practica antes da Teórica, mas não foi algo relativamente novo para mim; em teoria estamos sempre mais avançados do que na teórica. 4ª tenho o mesmo problema do pó no Auditório do Ed. IV, assim como alguns problemas em iluminação e em temperatura (talvez atribuidos á longa duração de Geologia).

5ª feira o problema é que volto a acordar para estar ás 8. De facto o maior problema (se se o poder considerar) é o atraso que certos professores tem em relação ás horas marcadas. Todas as cadeiras estão a ser interessantes, embora que a maioria seja aborrecida.

Introdução aos Computadores e Programação pode ser um “highlight” do 2º semestre: embora não estejamos a dar C ou C++ (as linguas que queria mesmo saber) estamos a dar Octave (Octave sendo uma versão gratuita de outro programa chamado Mathlab, e quando digo versão gratuita, quero dizer que reconhecem e correm o mesmo código). O Octave é uma língua estranhamente versátil, mas orientada para as matemáticas – torna-se escusado dizer que, apenas com alguns comandos consigo (e consegui) fazer metade dos programas das practicas. Não é uma língua aborrecida e penso que seria realmente capaz de a usar no meu dia-a-dia empresarial. O 1º trabalho de grupo que temos é a determinação da opção mais rentável para a construção de uma linha telefónica (ou de electricidade) que ligue duas aldeias. Já dei umas olhadelas, mas prefiro acompanhar o rumo de trabalho.

No que toca aos almoços, tenho o azar de acabar as aulas normalmente ás 2 da tarde, e arranjar um comer “como está escrito na ementa” é complicado. No entanto safamo-nos…….

Permalink Deixe um Comentário

Vault of Archavon – Archavon the Stone Keeper

6 de Março de 2010 at 18:16 (A Jornada do Grande Urso, A Jornada do Grande Urso - Na Crusada do Conhecimento, A Jornada do Grande Urso: Pelos continentes gelados)

Vault of Archavon
Archavon The Stone Keeper

Durante este post irei-me referir sempre ao Modo Normal (10-man).

Preparações e Introdução

Para irem a Vault of Archavon precisam antes de ganhar o domínio de Wintergrasp para a vossa facção correspondente (ou seja, apenas precisam de ter acesso ao Forte de Wintergrasp; uma equipa contrária que esteja dentro da câmara da Titan Relic ainda pode fazer VoA se entrar na instance). Normalmente as mesmas equipas que conquistaram Wintergrasp fazem a seguir VoA. Isto porque em Vault of Archavon os bosses: Archavon, Emalon Koralon, e mais recentemente Toravon dropam respectivamente peças aleatórias dos Tiers 7, 8, 9 e 10 e peças dos sets de arena das season 5, 6, 7 e 8, respectivamente.
Portanto, para melhor aproveitar este facto, uma raid para VoA deve ser preferencialmente composta de membros de várias classes.

Em termos técnicos, para derrotar o Archavon, precisam de um Tank capaz, dois Healers e um resto de DPS (não importa se é ranged ou melle). O uso de offtank é opcional, mas isso vou explicar mais tarde. A raid tem de garantir que pode fazer 8k de DPS contínuos durante o encontro; se não conseguirem, dificilmente conseguirão vencer o Archavon.
Com pessoal que tem Tier 6.5 (ou seja, equiparam-se nas 5-man de Northrend ou usando as receipes básicas de Northrend de profs) consegue-se com 9-10 ppl fazer com relativa facilidade o Archavon.

Assim que entram na instance, tem de descer uma escadaria e lutar contra uns mobs que guardam o corredor principal, o que por sí só não deve representar uma grande dificuldade. VoA é composta por 4 wings, todas ligadas a este corredor. A wing onde se encontra o Archavon é a que está no fim desse corredor.

Archavon

O Archavon por si só é um boss relativamente fácil de lutar, ao estilo do Tank & Spank, mas para tornar a batalha interessante a Blizzard decidiu dar umas skills ao Archavon k o tornam especial.

Em primeiro lugar, e isto é o mais importante de todo o encontro: ele tem um enrage que se activa passados 5 minutos após ele ter entrado em Combat.
Por causa deste facto o Archavon tem de morrer nesses 5 minutos a não ser que a raid se queira suicidar. A maneira como se assegura isto é fazendo os 8k de DPS que disse no inicio durante o encontro todo.
Devido a esta peculiaridade, o Archavon pode-se considerar um Gear Check – verifica se temos capacidade em termos de equipamento para prosseguirmos.

Em segundo lugar, também importante, por vezes o Archavon decide saltar de um lugar para outro. Com estes saltos ele começa a fazer uma nuvem à volta dos seus pés. Quem estiver dentro ou até perto dela recebe 2k de damage por segundo.
Parece pouco, mas basta alguém estar a lutar por 10 segundos dentro da nuvem e morrer, e a raid vai-se abaixo com o enrage do Archavon.
A solução para isto é o Main Tank (que deve sempre ter o Archavon agrado) gentilmente afastar o Archavon para uma zona limpa, sem que os DPS’ers caiam na nuvem.

Em terceiro lugar, e provavelmente o 2º aspecto mais importante do encontro, de vez em quando o Archavon zanga-se com a raid que o quer matar e decide paralisar por instantes a raid toda. Por dois segundos ficamos paralisados, à excepção do nosso querido Tank, que fica paralisado mais uns 8 segundos. O Archavon depois vira-se a quem tinha o threat mais elevado sem contar com o Tank.
A não ser que tenham na raid membros que agrem mais que Warriors, Paladins ou Death Knights (as classes com maior HP) não terão problemas com wipes pois caso tenham a situação controlada eles ficam a aguentar o dano que o Main Tank aguentaria até ele voltar ao activo.
Uma boa estratégia caso o Archavon se vire contra um clothie é correr, visto que o Archavon tem uma velocidade lenta e que, em certas condições, não chega a atacar o clothie.
Caso nada disto seja possível na raid ou se preferem não correr riscos, arranjem um Off Tank.

Esta ultima habilidade pode trazer alguns problemas porque, caso os DPS’ers estejam sem atenção ou suficientemente afastados do Archavon para notarem o Stomp, não notam que o Main Tank está ainda paralisado. Uma coisa útil e que ajuda as raids iniciais é o Main Tank dizer Off ou On quando ele entra ou sai desse stun.

O Archavon conta com uma 4ª habilidade: ele deita as estalactites para o chão de um target aleatório (mas que não o tank). Esta habilidade é normalmente inofensiva, desde que os healers sejam atentos e competentes.

Os papeis do Tank, dos Healers e dos DPS’ers

O Tank pode ser qualquer classe que tenha bastante HP e que consiga mitigar alguns danos (45% é já aceitável), ou seja, pode ser um Druid, um Warrior, um Paladin, um Death Knight ou (e isto caso estejam mesmo desesperados) um Shaman. Tenho de dizer que prefiro os Druids para este papel, porque facilmente ultrapassam a HP das restantes classes e porque é necessária o controlo da agro e da threat que os Druids e Warriors tem facilitados.
O Tank não se deve preocupar com o dano que dá neste encontro, mas mais com o boss em si: precisa de o ter agrado a todo o custo e a praticamente todos os momentos, com detalhe especial para a nuvem. Em termos de posição, o Tank pode ficar em qualquer espaço da wing.

Os Healers tem o papel vital de garantir a sobrevivência da raid. Devem ser no mínimo dois: um para healar o Tank e outro para healar a raid. Penso que ambos tem a sua importância portanto vou falar deles em separado.
O healer do Tank pode ser um Resto Druid ou alguém que não tenha problemas em healar pequenas quantidade de dano rapidamente. Um bom Resto Druid pode facilmente healar o Tank que, já mitigando metade dos danos que receberia, não precisa de heals brutos.
O Healer da raid provavelmente tem de ser o mais atento dos healers porque tem de tomar atenção ás estalactites que caem nos membros da raid como tem de tomar atenção aos membros da raid que entram por acidente (esperam eles) na nuvem. Convem que este healer seja um Priest ou um Paladin embora que qualquer classe que consiga dar heals de grande magnitude instantaneamente ou quase instantaneamente serve para este propósito.

Os DPS’ers só tem de ter cuidado com uma coisa: com a nuvem. Isto porque a nuvem gera-se sempre no sitio em que o Archavon normalmente é enfrentado. Eu diria para terem cuidado com o DPS, mas o vosso destino já estava traçado antes de entrarem: ou conseguem dar os 8k, ou não conseguem, ou conseguem à rasca matar o Archavon.

Posicionamento

O posicionamento da raid é simplissimo: Healers e Ranged DPS’ers para a entrada da wing e Melle DPS’ers e o Tank para o meio. O tank não se deve afastar muito para dentro, correndo o risco de ficar fora do range dos Healers e dos Ranged DPS’ers.

Achievements

Após terem derrotado o Archavon recebem o achievement Archavon The Stone Watcher. Não existe Realm First para este boss e, caso derrotem o Archavon, o Emalon e o Koralon com uma diferença de menos de um minuto receberão o achievement Earth, Wind and Fire.

Addons

Defendo que cada um usa o que lhe vier ao coração 🙂
Mas para ser concreto existem addons que aqui tem bastante utilidade. Durante os meus encontros com o Archavon, usei estes addons:

Omen – O Omen é um threat meter, ou seja, mede a ameaça que todos os membros da rais estão a provocar no Archavon. Especialmente útil para Tanks, recomendo que pelo menos este tenha-o, para saber quem será afectado pelo período de paralisação

Skada – O Skada é o ponto focal desta raid, já que é um counter. Ele regista todo e qualquer dado que tenha existido no encontro, quer ele seja o tipo e o dano que os ataques específicos de cada um fez no boss, quer em saber quem heala mais e melhor quer como saber o DPS de uma raid, o que é o que nos interessa neste caso. Podem treinar num boss ou até nas puppets de treino, desde que verifiquem que fazem os 8k de DPS, estarão safos.

Conclusão

É impossível para alguém prever como a batalha irá correr, mas seguindo estas dicas podem pelo menos ter uma base de onde partir para derrotarem o Archavon.

Caso queiram perguntar alguma coisa em especifico, basta fazerem reply.

Permalink Deixe um Comentário

“to-do pile” para este fim de semana

6 de Março de 2010 at 18:05 (Reminiscências de um Louco)

Sei que não ando a postar muito, bem, em vez de passar uns 2-3 parágrafos a explicar-me digo que não tenho tido tempo e vontade para o fazer: não sou um escritor constante, embora tenha adquirido uma audiência admirável, tanto pelo melhor como pelo pior, ao longo dos tempos.

Como o nome indica, aqui vai o que espero publicar neste fim de semana, para que possam criticar ou comentar á vontade:

Um How-To do Archavon (WoW)
Um resumo da primeira semana do 2º Semestre
Uma review do World of Goo (em resposta á marca deixada pela PCGuia)
Um Walktrough de Blackrock Depths (WoW, outra vez)

O primeiro já o tenho feito, mas ainda não me deu vontade para o postar até hoje, o resto farei ou à noite ou amanha, conforme o que quiser.

Stay tuned.

Permalink Deixe um Comentário